Assimetrias mamária

Quais os sintomas, tratamentos e como se prevenir

A mamografia atualmente é o exame de referência para pesquisa de rotina do câncer de mama. As assimetrias são geralmente encontradas nas mamografias de rotina e diagnóstica. Embora exista uma grande variedade de normalidade, com grande variação no padrão de distribuição do parênquima nas mamas (mamas de diferentes tamanhos e formatos) a simetria do corpo mamário é uma característica que geralmente está presente.

No entanto, pequenas assimetrias podem ocorrer em até 3% das pacientes e correspondem, em sua maioria, à variação da normalidade, mas também podem ocasionalmente representar um sinal secundário de malignidade. Portanto, cada exame deverá ser analisado individualmente para se determinar se quando uma área com assimetrias encontra-se presente, em um exame de mamografia, estas são verdadeiras ou apenas resultado de diferença de posicionamento ou compressão, ou representam algo mais significativo.

As principais causas de assimetrias não malignas são: alterações pós-cirúrgicas, trauma, cicatriz radial, tecido mamário ectópico, cistos simples, fibrose, adenose esclerosante, terapia de reposição hormonal e o uso de contraceptivo oral.

Dentre as principais causas malignas: carcinoma ductal infiltrante, carcinoma lobular invasivo, carcinoma tubular e o linfoma (sendo este último a causa mais rara).